Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Editorial

Direitos na era das inovações

Modernidade não significa qualidade.

Modernidade não significa qualidade. Nem sempre o que é novo é melhor, mas a inovação também nos traz, por vezes, a evolução. Esta edição da Revista do Idec trata muito bem desse assunto e joga luz em bons e maus exemplos desses novos tempos. Comecemos aqui, então, pelo que é bom!

A matéria de capa aborda um assunto que ainda engatinha no Brasil, mas que deve estar cada vez mais presente no futuro: o Mercado Livre de Energia, que irá nos permitir escolher de qual empresa vamos comprar a energia usada em nossas casas. Explicamos como esse sistema funciona.

Mais próximos

Se as dificuldades são grandes, nossa colaboração se faz mais necessária

Passamos do segundo ano de pandemia e as consequências para a população ainda são grandes. Não bastassem os problemas gerados pela crise sanitária, uma guerra do outro lado do mundo também afetará a todos nós. Por isso é tão importante termos consciência do que podemos fazer como cidadãos e nos unirmos cada vez mais.

Ainda mais fortes em 2022

Começo de ano é uma boa época para planejar o que fazer e rever o que foi feito no período anterior

Começo de ano é uma boa época para planejar o que fazer e rever o que foi feito no período anterior. E a Revista do Idec deste início de 2022 também tem esse desafio. Após passarmos por mais um ano muito difícil, com o agravamento da pandemia e milhões de brasileiros fortemente afetados pela crise financeira, fizemos o exercício de olhar para trás e ver o resultado do nosso trabalho.

Direitos permanentes

Todo passageiro é consumidor, mas seus direitos não devem ser passageiros

Todo passageiro é consumidor, mas seus direitos não devem ser passageiros. O jogo de palavras e ideias traz dois conceitos muito importantes que defendemos. Se os passageiros de transporte aéreo e do transporte rodoviário tem seus direitos assegurados por leis específicas, a mesma proteção – ou ainda maior – deveria valer para milhões de brasileiros que dependem diariamente do caótico e desigual transporte público brasileiro para se deslocar por cidades dos quatro cantos do País. E durante a pandemia, a situação desses cidadãos e dos sistemas de transporte deteriorou-se ainda mais.

O mundo muda e o Idec também

Novidades no Idec para acompanhar a evolução da sociedade.

O espírito de luta pela defesa dos nossos direitos está dentro de nós. E é importante exercê-lo em todos os momentos. No Idec, trabalhamos incessantemente para renová-lo e transformá-lo cada vez mais em conhecimento e medidas de proteção para a sociedade. No relacionamento com o banco, na fila da farmácia ou na hora de pagar o delivery, atenção e informação empoderam o consumidor.

Mais um ano!

Aniversário do Idec marcado por muitos desafios.

As batalhas dos consumidores não param. Nos últimos anos, lutamos pela aprovação no Congresso Nacional do projeto de lei sobre superendividamento e finalmente conseguimos que ele fosse aprovado! Contudo, sabemos que os desafios na área financeira ainda são grandes.

Informação e defesa

Uma das armas mais poderosas para o cidadão é o direito à informação

Uma das armas mais poderosas para o cidadão é o direito à informação, essencial em uma sociedade democrática. No Brasil, ele está previsto na Constituição Federal e de forma cristalina no Código de Defesa do Consumidor (CDC), que em seu artigo 6 diz que é direito básico do consumidor a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem.

Consumidor em primeiro lugar

Luta pelos nossos direitos e um anos de pandemia como destaques.

Há um ano, no começo de março de 2020, estávamos iniciando nossas atividades para celebrar o Dia do Consumidor, no dia 15. Faríamos mutirão de atendimentos na rua e eventos na sede do Idec. Mas nada disso ocorreu, porque fomos tomados de assalto por uma pandemia que mudou completamente nossa forma de viver.

Grandes batalhas em 2021

Reflexos da pandemia ainda são fortes e estão no nosso alvo de atuação

Já chegamos a 2021, mas o grande desafio mundial de 2020 ainda não foi embora. A pandemia de Covid-19 mudou nossos comportamentos e afetou a vida de todos nós e a economia de todos os países. No Brasil, os reflexos ainda são fortes e as adversidades permanecem, como apontam algumas reportagens desta edição.

Uma delas trata da ineficácia da suspensão dos reajustes na mensalidade dos planos de saúde em 2020, e que serão recompostos aos cofres das operadoras em 2021, onerando ainda mais os consumidores, que podem receber aumentos em cascata neste ano.

2020 repleto de desafios

Tivemos de mudar nossa forma de trabalhar, conviver, nos relacionar e consumir

O ano de 2020 foi certamente o mais desafiador em muito tempo. O surgimento e a disseminação da Covid-19 transformou nossas vidas. Tivemos de mudar nossa forma de trabalhar, conviver, nos relacionar e consumir. Nossa saúde passou a ser desafiada por um vírus que matou mais de 1,2 milhão de pessoas no mundo todo.

Páginas

Subscrever RSS - Editorial