Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Eficiência

Eficiência

O Programa Brasileiro de Etiquetagem

Ao comprar um eletrodoméstico você já deve ter notado o adesivo que indica sua eficiência energética. Resumidamente, essa classificação se refere à quantidade de energia que o equipamento usa para funcionar: quanto mais energia for necessária, menor é a eficiência, e vice-versa.

O Programa Brasileiro de Etiquetagem (PBE), do Inmetro, mede a eficiência dos produtos com notas de A (mais eficientes) a G (menos eficientes). Os equipamentos com melhor classificação podem ser mais caros. Mas, a médio prazo, por consumirem menos energia, acabam compensando essa diferença e se tornando até mais baratos.

Para te ajudar na escolha, preparamos uma calculadora que mostra em quanto tempo o gasto superior num equipamento mais eficiente pode ser compensado por meio da economia na conta de luz. A calculadora analisa geladeiras, televisores, ares-condicionados, máquinas de lavar e ventiladores. 

 

Níveis brasileiros são baixos

O PBE é fundamental para que os brasileiros tenham acesso a aparelhos com melhor desempenho. O problema é que as exigências de eficiência energética dos produtos vendidos no país são menores do que as adotadas em países com melhores condições de desenvolvimento econômico, como os da Europa e Estados Unidos, e mesmo das feitas em outros países em desenvolvimento, como China, Índia e Vietnã. Para se ter uma ideia, boa parte dos eletrodomésticos vendidos no Brasil não poderiam ser comercializados nesses lugares. 

Para reverter essa situação, o Idec vem atuando em diferentes frentes:

  • junto às empresas e ao Inmetro, para favorecer a adoção de normas mais exigentes;
  • pressionando o Congresso Nacional por legislações favoráveis à eficiência energética em geral;
  • estimulando os consumidores a melhorar hábitos, por meio da difusão de conhecimento (confira nossa página com dicas para tornar seu consumo mais eficiente), promoção de campanhas e outras ações;
  • atuando com outras organizações sociais e ambientais, por meio da Rede Kigali.

 

Rede Kigali

A Rede Kigali reúne organizações da sociedade civil pela eficiência energética dos eletrodomésticos brasileiros, em ações como a reformulação de políticas públicas e a conscientização dos consumidores, e pela redução das emissões de gases de efeito estufa. Essas organizações têm trabalhado em rede e estruturado atividades e estratégias de forma coordenada.

Entre essas atuações está a luta para o Brasil ratificar a Emenda de Kigali ao Protocolo de Montreal. Trata-se da criação de um cronograma para redução gradual no consumo dos hidrofluorcarbonetos (HFCs), grandes causadores do efeito estufa. Seu principal uso é como fluido refrigerante em aparelhos de ar condicionado. Entenda melhor aqui!

 


Como escolher o melhor modelo de ar-condicionado?

Além do preço do aparelho, é importante analisar seus gastos com energia elétrica, tamanho do local e as vantagens e desvantagens de cada modelo. Veja aqui ótimas dicas para fazer isso. Saiba mais!

Condicionadores de ar mais eficientes não estão disponíveis para venda

Apesar de estar na lista do Inmetro e nos sites dos fabricantes, grande parte dos equipamentos mais eficientes não estão à venda no mercado brasileiro, revela pesquisa do Idec. Leia esse conteúdo exclusivo!

Entenda como funciona o processo de resfriamento

Com o tema “Como congelar o inferno”, o canal Nerdologia lançou um vídeo muito divertido e didático, que explica o funcionamento do ar-condicionado e como isso impacta o meio ambiente e a sua conta de luz.

AJUDE-NOS A CONTINUAR COM ESSE TRABALHO

Defendemos causas e publicamos conteúdo gratuito para dar mais poder aos consumidores. Para seguir fazendo isso com independência, precisamos do apoio da sociedade nessa missão. Faça uma doação: