Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Pesquisa Datafolha comprova a eficácia da rotulagem de triângulos

Com os triângulos, 82% dos brasileiros conseguem identificar qual produto é o mais saudável

Compartilhar

separador

Atualizado: 

11/11/2019

Em uma pesquisa realizada pelo Idec com o instituto Datafolha durante os dias 7 a 11 de outubro, 82% dos participantes conseguiram identificar corretamente qual era o alimento mais saudável a partir dos rótulos de advertência em formato de triângulos.

Já com o modelo de lupa, apresentado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e levado para a consulta pública sobre rotulagem nutricional de alimentos, apenas  64% conseguiram responder corretamente.

Em relação à preferência nacional, os triângulos também se mostraram superiores: 76% dos participantes preferem o modelo quando o comparam com a lupa. Já que esse número representa a população, temos que 3 em cada 4 brasileiros preferem os triângulos. 

“Estamos às vésperas do encerramento da consulta pública sobre a rotulagem nutricional de alimentos no Brasil. É importante que esses dados sejam levados em consideração e que a população tenha acesso ao melhor modelo de rotulagem”, afirma Ana Paula Bortoletto, nutricionista do Idec.

Para a pesquisa, foram entrevistadas 1.384 pessoas, com idades entre 18 e 55 anos, pertencentes a todas as classes socioeconômicas e regiões do Brasil. Os participantes foram apresentados a um questionário com 25 perguntas sobre 3 produtos: iogurte, cereal matinal e suco de caixinha - categorias de alimentos que, devido à sua comunicação mercadológica, muitas vezes são considerados saudáveis. 

Os produtos foram rotulados quando continham excesso de açúcar, gorduras saturadas e/ou sódio. Ao avaliar os sucos de caixinha com os rótulos de triângulos, por exemplo, 73% dos participantes conseguiram identificar qual produto era o menos saudável. Já com o modelo de lupas, apenas 63% acertaram. 

Histórico 

Em 23 de setembro, a Anvisa abriu a consulta pública sobre rotulagem nutricional de alimentos. Na ocasião, a agência propôs a inclusão de uma lupa na parte da frente dos rótulos dos alimentos com excesso de nutrientes críticos (sódio, gorduras saturadas e/ou açúcar). Contudo, até o dia 7 de novembro, a população pode opinar na consulta sobre qual o modelo de rotulagem deve ser adotado no País.

Em reunião em abril, a Anvisa divulgou o relatório com os resultados da TPS (tomada pública de subsídios), encerrada em julho de 2018, que contou com mais de 33 mil contribuições. 

Ao longo deste ano, a agência realizou três reuniões técnicas com entidades e organizações envolvidas no tema para discutir o que foi apresentado no relatório e decidir sobre questões técnicas da norma de rotulagem nutricional.

Aprimoramento da rotulagem 

Em 2017, o Idec apresentou à Anvisa a proposta de rotulagem de advertência em formato de triângulos, após inúmeras pesquisas científicas mostrarem que este é o modelo de rotulagem nutricional frontal mais eficiente para a população. Além disso, o modelo já é utilizado em diversos países, como Chile, Peru e Uruguai. 

Desde 2014, o Idec faz parte do grupo criado pela Anvisa para revisar as atuais normas de rotulagem de alimentos no Brasil. O grupo reúne pesquisadores de instituições de ensino, organizações da sociedade civil e representantes do setor produtivo.  

Nos últimos anos, o Idec tem realizado pesquisas e acompanhado experiências de aprimoramento da rotulagem nutricional em diferentes países, como o Chile, que desde 2016 adota, com sucesso, advertências na frente das embalagens para informar sobre o excesso de nutrientes críticos nos alimentos.

Talvez também te interesse: