Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Anvisa abre consulta pública técnica sobre Rotulagem Nutricional

Consumidores e especialistas no tema podem enviar suas contribuições até 9 de julho

Compartilhar

separador

Atualizado: 

23/08/2018

Após 4 anos de discussão e conversa com setores interessados, está aberta a consulta pública técnica (tomada pública de subsídios) da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) sobre rotulagem nutricional de alimentos.

O objetivo desta fase, que vai até 9 de julho, é receber contribuições, como dados, informações e evidências, que possam ajudar na decisão final da agência sobre qual o modelo de rotulagem nutricional será adotado no Brasil.

Toda a população pode participar. Para isso, basta preencher o questionário disponível aqui. Ele está separado em quatro seções, sendo duas indicadas para contribuições de especialistas (seções 2 e 3) e duas indicadas para a participação de toda a sociedade (seções 1 e 4).

Os especialistas são profissionais específicos de determinadas áreas que atuam no tema e podem oferecer contribuições específicas, como designers, comunicadores, médicos e nutricionistas, que podem indicar a importância e a urgência da atualização dos rótulos. 

“A rotulagem nutricional de alimentos, tal como é hoje, não favorece nosso acesso à informação e dificulta a compreensão de dados que deveriam guiar as escolhas alimentares. Por isso é fundamental que a Anvisa escute o que os consumidores têm a dizer”, afirma a nutricionista do Idec Ana Paula Bortoletto.

Abaixo, você encontra um passo a passo para ajudar no preenchimento do questionário.

Revisão da rotulagem

Desde 2014, o Idec faz parte do grupo criado pela Anvisa para revisar as atuais normas de rotulagem de alimentos no Brasil. O grupo reúne pesquisadores de instituições de ensino, organizações da sociedade civil e representantes do setor produtivo.  

Nos últimos anos, o Instituto tem realizado pesquisas e acompanhado experiências de aprimoramento da rotulagem nutricional em diferentes países, como o Chile, que desde 2016 adota alertas na frente das embalagens para informar sobre o excesso de nutrientes críticos nos alimentos.

LEIA TAMBÉM

Crianças e adultos testam modelo de rotulagem proposto pelo Idec

Pacote do Veneno é aprovado em comissão da Câmara