Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Idec pede esclarecimentos em relação a medidas sobre preços de remédios

Instituto solicitou informações sobre criação de grupo de trabalho que estuda mudanças que podem acabar com preço máximo estabelecido para alguns tipos de medicamentos

Compartilhar

separador

Atualizado: 

28/01/2020
Foto: iStock
Foto: iStock

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) enviou um ofício para a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) e a para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedindo informações a respeito de mudanças que estão sendo estudadas na regulação do preço de medicamentos com inovação incremental, que são aqueles que contêm alguma mudança em relação a versões anteriores.

A ação ocorreu após a publicação da Portaria n. 1.837, de 13 de novembro de 2019, da Anvisa, instituindo um grupo de trabalho com o objetivo de propor critérios para precificação de medicamentos que trazem inovação incremental. A suspensão do teto de preço para medicamentos com inovação incremental é uma demanda do setor farmacêutico e sua implementação pode gerar diversos reflexos para os consumidores.

O Idec é contra uma eventual suspensão do teto para medicamentos. “Estudar formas de estimular a inovação no setor é louvável, mas a regulação de preços é necessária para conter aumentos excessivos no setor e seu aprimoramento, bastante necessário, não passa por sua extinção”, alerta a coordenadora do programa de Saúde do Idec, Ana Carolina Navarrete.

Além disso, o Idec ressalta que não existe uma definição precisa do que seja inovação incremental. Poderia-se considerar mudanças cosméticas, como alterações de rótulo, ou mudanças mínimas, como sabor, apresentação e dosagem para reivindicar uma situação de inovação incremental. 

Em abril de 2019, a Cmed já havia suspendido a regulação de preços para medicamentos isentos de prescrição (MIPs). Na época, o Idec oficiou o órgão e recebeu o secretário-executivo Ricardo Santana em sua sede para uma reunião sobre o tema. No documento enviado nesta semana, o Idec solicita, além de informações sobre o que já foi discutido e definido por este grupo de trabalho, mais uma reunião com o representante da Cmed para esclarecimentos sobre as próximas etapas dessa discussão.

Histórico e posicionamento

O Idec já realizou diversas pesquisas sobre monitoramento de preços de medicamentos em pontos de venda (farmácias e drogarias). Suas conclusões sempre foram pela imensa discrepância entre os preços reais e o teto regulado, já que o teto é muito alto em comparação com o praticado  no mercado. Essa é a principal crítica do Instituto quanto à regulação que hoje em dia é praticada pela Cmed.

LEIA TAMBÉM:

Idec e mais 9 entidades denunciam preço abusivo de medicamento no Cade

Idec pede explicação sobre fim do preço-teto de remédios sem prescrição

 

 

Talvez também te interesse: