Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Quarentena: sabia que dá pra melhorar a qualidade da sua internet?

Confira dicas para melhorar a sua conectividade, na internet fixa e móvel, durante o período de isolamento social.

separador

Atualizado: 

17/11/2020

O isolamento social aumentou o uso de internet fixa e móvel para viabilizar o home office, o EAD (Ensino à Distância) e o consumo de entretenimento. Com isso, as redes domésticas foram sobrecarregadas e muitos consumidores estão enfrentando problemas pra se conectar, o que prejudica o trabalho, os estudos e o lazer de milhares de pessoas durante um período tão delicado.

Esses problemas de conexão podem ser devido à má qualidade do serviço, mas também podem estar relacionados ao padrão de uso na residência: se o grupo familiar aumentou muito o consumo de internet durante o quarentena mas continuou com o mesmo plano contratado, é possível que o plano seja insuficiente para atender a demanda.

No início da pandemia de Covid-19 houve um aumento de 35% no número de reclamações sobre o serviço de banda larga fixa feitos à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que afirma que as operadoras de telecomunicações estão buscando aprimorar os serviços para suportar o aumento no tráfego e que adotou medidas de enfrentamento ao aumento do número de reclamações. Já as operadoras afirmam que estão se adaptando às mudanças no perfil do tráfego, que agora está mais concentrado nas redes domésticas dos bairros residenciais.

O Idec está acompanhando a situação do acesso à internet no Brasil e cobrando ações mais efetivas do setor, tanto entidades governamentais como iniciativas privadas, para garantir a conectividade de todos os consumidores, especialmente os mais vulneráveis.

 

Mas o que posso fazer para minimizar os impactos da sobrecarga e melhorar a qualidade da internet durante a quarentena? 

Além do que o governo e as próprias empresas de telecomunicações podem (e devem) fazer, podemos tomar pequenas medidas para auxiliar a estabilidade da internet. Para te ajudar com isso, a equipe de especialistas do Idec preparou dicas para melhorar a sua conectividade durante a fase de isolamento social. 

As orientações valem pra internet fixa (via conexão Wi-Fi, por exemplo) e pra internet móvel (via franquia de dados pré-paga ou pós-paga), mas foram preparadas pensando especialmente nos consumidores que têm acesso à internet exclusivamente pelo celular, grupo que representa 70% da população de baixa renda do país. Confira: 

 

Pra começar, confira a velocidade da sua internet fixa

Comece verificando se a velocidade que você contratou está sendo efetivamente entregue: os planos de internet fixa são contratados por velocidade, ao contrário dos planos móveis, que são por franquia (quantidade) de dados. Não sabe qual é a sua velocidade? Confira no seu contrato e algumas empresas também disponibilizam essa informação em faturas e aplicativos. 

Segundo a Anatel, a operadora deve entregar em média 80% da velocidade contratada, com o mínimo de 40% em eventuais horários de pico. Você pode conferir se sua operadora está cumprindo essa obrigação em sites de medição de velocidade, como o Simet

Se identificar que sua velocidade está inferior, entre em contato com o serviço de atendimento ao consumidor da sua operadora, que não pode cobrar pela assistência técnica já que este caso configura “falha de serviço” e por isso deve ser oferecido pela empresa sem custos ao consumidor. Caso a situação não seja resolvida, registre a reclamação no site da Anatel ou pelo telefone 1331.

 

Pra otimizar seu uso (seja na internet fixa ou móvel) é possível adotar algumas práticas:

1. Não deixe o streaming ligado à toa: costuma deixar filmes ou séries passando enquanto vai tomar banho, lavar a louça, atender uma ligação, etc? Vídeos consomem uma grande quantidade de dados e podem sobrecarregar sua rede, então seja prudente neste período de crise e “gaste” sua internet quando realmente estiver usando para garantir uma boa conexão nos momentos que realmente importam.

2. Evite streamings em horário de pico e faça acordos: das 9h às 12h e das 14h às 17h são os períodos de pico de uso de internet e por isso é importante evitar utilizar streamings audiovisuais, como por exemplo Netflix e YouTube, e outros serviços de alto consumo de dados, como jogos online. Outra dica é conversar com as pessoas com que compartilha a rede e criar acordos de revezamento para consumir esses serviços, assim não tem sobrecarga simultânea e evitamos brigas na casa por causa da internet (quem nunca?).

3. Baixe e assista offline e reduza a qualidade da imagem: muitos serviços oferecem a possibilidade de fazer download de conteúdos audiovisuais para que você assista quando quiser, sem depender de internet. Se organize para fazer downloads de suas séries, filmes, vídeos e podcasts no horário de menor sobrecarga da internet, o consumo para baixar é bem menor que o para assistir online. Também é possível reduzir a qualidade de resolução dos vídeos nas configurações do aplicativo e/ou site e diminuir o consumo de dados.

4. Precisa mesmo fazer a reunião com a câmera ligada? Se não houver uma razão específica para que sua conversa de trabalho e até mesmo com familiares e amigos aconteça com as câmeras ligadas, evite utilizar o vídeo, principalmente em momentos de pico no uso da internet. Quando necessário, uma possibilidade é manter aberta apenas a câmera de quem estiver falando para reduzir o uso de dados. Mas lembre-se: contato humano importa, ainda que remotamente, então não se prive totalmente de ver e ser visto por causa da internet! 

5. Desabilite a reprodução e o download automáticos: nas configurações de suas redes sociais é possível desabilitar a função de reprodução automática de vídeos e em aplicativos de trocas de mensagens é possível desabilitar o download automático de vídeos e fotos. Essa função consome bastante sua internet para carregar conteúdos que muitas vezes nem serão vistos. 

6. Lembra do telefone fixo? Muitos de nós já tinham se esquecido e outros nem chegaram a usar a telefonia fixa, mas ela também pode ajudar neste período de isolamento. Além das chamadas de videoconferência e por aplicativos de mensagens, como ligação por WhatsApp, que são realizada via internet, que tal tentar utilizar os serviços tradicionais de telefonia, tanto fixa quanto móvel? 

7. Sempre vale tentar conversar com sua operadora: seja para seu plano de banda larga fixa ou para seu plano de internet móvel pré ou pós paga, vale tentar negociar no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), pois podem existir novos e melhores planos com preço semelhante. Além disso, as empresas de telecomunicações têm assumido alguns compromissos para minimizar os impactos da pandemia, como por exemplo disponibilizar mais bônus para usuários de internet móvel durante o período de isolamento social. Verifique qual é o canal oficial para atendimento da sua operadora e entre em contato. 

 

Para internet fixa:

1. Use um cabo de internet no seu computadores: dispensando a rede sem fio, o cabo deixa a conexão mais rápida e até mais estável devido ao vínculo com a internet ser "direto".

2. Considere adquirir um repetidor de sinal de Wi-Fi: a cada “obstáculo”, como paredes, o sinal da internet perde força e o repetidor permite que a transmissão do sinal de Wi-Fi seja mais efetiva em cômodos mais distantes do roteador de Wi-Fi.

3. Reveze com a internet do celular: se você possui um pacote de dados móveis ilimitado e está usando apenas a rede doméstica de Wi-Fi neste período, procure revezar com o uso da internet móvel que, muitas vezes, pode ser compartilhada com seu computador como acesso pessoal.

 

Para a internet móvel (redes 3G e 4G):

1. Melhore suas configurações de uso de internet no seu aparelho: muitos dos celulares têm a opção de ver quais aplicativos gastam mais internet do que outros. Por exemplo, você pode alterar a frequência de atualização automática a cada 10min do e-mail para a cada 1h e consumir menos dados. 

2. Diminua a qualidade da música: configure seu streaming de áudio (como Spotify, Deezer, Apple Music, Google Play Music) para reduzir a qualidade do áudio em caso de utilização de rede móvel. Isso não irá prejudicar a qualidade quando estiver conectado ao Wi-Fi.

3. Troque aplicativos por sites: os aplicativos das redes sociais consomem muita bateria e dados móveis e você pode economizar acessar direto pelos sites, em navegadores como Google Chrome, Mozilla Firefox ou Safari, por exemplo. No caso do Facebook, existe também o app Facebook Lite (que pertence à própria empresa), uma versão menos “pesada” do aplicativo oficial, que também consome menos dados e menos bateria.

4. Use a "versão móvel" de sites: a versão adaptada de sites, caso existam, consomem menos dados e você pode utilizá-los, por exemplo, pra navegar em redes sociais e YouTube consumindo menos dados. Para entrar na versão móvel, caso esteja disponível no site que quer acessar, digite www.m.[site].com.[br] na barra de busca. 

5. Acesse o aplicativo oficial: geralmente é possível analisar seu perfil de consumo e planejar um uso mais consciente de seus dados.

 

Para aparelhos Android:

1. Use o modo "economia de dados": vá nas suas configurações, em "uso de dados" e selecione a opção "economia de dados". Para alguns celulares, é necessário ir nas configurações, nas "Conexões" (a primeira opção do celular) para então entrar no "uso de dados" e selecionar a opção "economia de dados". Também é possível selecionar os aplicativos nos quais você não quer que seus dados sejam economizados.

2. Restrinja o uso de dados em segundo plano: vá nas configurações do aparelho, em "uso de dados" e, a depender do seu celular, ou (1) desative a opção "dados em plano de fundo" ou (2) ative a opção "protetor de dados".

3. Use o modo "economia de dados" no Google Chrome: no app do navegador Google Chrome, clique nas "reticências" (as três bolinhas no canto direito superior da tela), vá em configurações e ative o modo lite/economia de dados.

4. Desative a atualização automática de seus apps: vá no app do Google Play, clique em "configurações", em "atualizar aplicativos automaticamente" e selecione a opção "não atualizar aplicativos automaticamente" ou "atualizar os aplicativos automaticamente somente via Wi-Fi".

 

Para aparelhor iOS-Apple:

1. Desative atualizações em segundo plano: vá em configurações, "geral", "atualização em segundo plano" e desative a opção para os aplicativos que não utilizar.

2. Desative a sincronização automática dos principais apps da Apple: para tanto, vá em "ajustes", clique em "Mail, Contatos e Calendário", em "obter novos dados", "obter" e selecione a opção "manualmente". Se for necessário, selecione alguma opção de atualização, mas não com tanta frequência, como a opção "de hora em hora".

 

>> LEIA: Saiba como entrar em contato com sua operadora e exigir seus direitos

Talvez também te interesse: