Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Dinheiro esquecido nos bancos: você sabe como receber o seu?

Segundo o Banco Central, cerca de 28 milhões de pessoas e empresas possuem algum saldo para receber. O Idec te ajuda a não cair em golpes e resgatar o seu dinheiro

separador

Atualizado: 

14/04/2022
Foto: iStock
Foto: iStock

Neste mês de março o Banco Central (BC) começou o pagamento a pessoas e empresas que têm o chamado "dinheiro esquecido”.  O primeiro lote de pagamentos foi pago no último dia 7. Na primeira fase do SVR (Sistemas de Valores a Receber) foram liberadas as consultas a R$ 4 bilhões. O montante inclui valores a serem devolvidos para 28 milhões de contas, sendo 26 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de pessoas jurídicas. 

Afinal, o que é o dinheiro esquecido nos bancos?

Segundo o Banco Central ( BC ) caracterizam-se como dinheiro esquecido que pode ser transferido:

  • Contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível
  • Tarifas cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários de cooperativas de crédito
  • Recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados

Atenção: Valores remanescentes dos confiscos dos planos econômicos das décadas de 1980 e 1990 não serão contemplados nas devoluções do SVR. Se você teve ação judicial com o Idec nesses casos, entre em contato com a área de atendimento que você ainda pode ter a oportunidade de aderir ao Acordo dos Planos Econômicos.

Como eu vejo se tenho algo a receber?

A consulta acontece no Valores a Receber, site do Banco Central direcionado a essas consultas, que está disponível desde o dia 14/02. Basta entrar e  informar o seu CPF com a  data de nascimento ou o CNPJ da empresa com a data de abertura da mesma.

Atenção: Não forneça os seus dados em nenhuma outra plataforma que ofereça a opção de consulta de valores ou sites que cobram por isso. A única plataforma oficial e segura é a do Banco Central.

Quando vai acontecer?

Após consultar o site do Banco Central você saberá se tem dinheiro a receber. Neste momento não será disponibilizado quanto será devolvido, mas a data que será divulgado o valor e quando o consumidor poderá solicitar a transferência. Os valores serão pagos de acordo com a data de nascimento e preferencialmente por meio do Pix na instituição financeira que deseja receber o valor esquecido.

Dinheiro esquecido nos bancos

E se eu não resgatar o dinheiro ou deixar passar a data de resgate? 

De acordo com o BC, há cerca de R$ 8 bilhões de recursos "esquecidos". Na primeira fase de saques, o banco prevê a devolução de quase R$ 4 bilhões de reais. Quem recebeu a mensagem positiva precisa ficar atento a data em que saberá quanto vai receber e quando poderá pedir a liberação do dinheiro. Quando receber a data, confira se você foi agendado para o período de 4h às 14h ou de 14h às 24h. Se você esquecer ou perder a data e o período, se você não consultar ou solicitar o resgate do saldo existente em todas essas datas, ele continuará guardado à sua espera. Não deixe de voltar ao site na data e período informados. Se não comparecer nessa data e período, você terá que voltar no sábado da repescagem, de acordo com o calendário acima. A repescagem vai funcionar durante todo o dia, das 4h às 24h.

O dinheiro de quem não conseguiu resgatar será liberado na segunda fase, que começa em 2 de maio. 

É possível consultar se um familiar falecido tem saldo a receber?

A consulta ao Sistema Valores a Receber também pode ser feita com CPF e a data de nascimento da pessoa falecida. Mas o Banco Central ainda não definiu e nem divulgou as regras para essa finalidade. 

Quais cuidados devo tomar para não ser vítima de um golpe? 

  1. O site Valores a Receber é um endereço do oficial do Banco Central,  único canal de consulta oficial, gratuito e não existem endereços alternativos.
  2. Após a consulta, e em caso afirmativo de existência de saldo, é necessário o cadastro da senha no site oficial do Governo Federal. O cadastro é individual  e gratuito, requer um nível de certificação ouro ou prata ou login de conta bancária cadastrada eletronicamente. Procure ajuda com alguém de confiança para fazer a consulta.
  3. Não entre em links enviados por e-mail e redes sociais (Whatsapp, Telegram, SMS) e não forneça dados pessoais para ter acesso aos dados. Todas as dúvidas sobre a conta e etapas devem ser feitas diretamente com o Banco Central. 
  4. Recuse ligações que pessoas que se apresentam como representantes ou funcionários do Banco Central ou de bancos para realização do cadastro ou antecipação de etapas. 
  5. Não aceite proposta de antecipação de valores a receber. Não há como saber o valor antes das etapas de consultas oficiais do Banco Central e do portal Gov.br. 
  6. Não é necessário contratar profissionais para fazer a consulta e solicitação aos recursos esquecidos, não existem caminhos alternativos, todo o processo de consulta passa pelo calendário do Banco Central.
  7. Não faça gastos antecipados sobre os recursos que terá para receber e não forneça os seus dados para dar em garantia de recebimento de crédito de um valor incerto. 
  8. Se o recurso a receber for um valor considerável, antes de utilizá-lo para pagar uma dívida, procure o banco e renegocie a dívida,  solicite a simulação do cálculo, exija desconto para liquidação antecipada. 
  9. Acompanhe informações sobre direito de receber os recursos de parente falecido através dos canais oficiais do Banco Central.  
  10. Cuidado com o fornecimento dos dados pessoais. O banco indicado para o fazer a devolução do recurso esquecido precisará obter apenas a conta PIX para fazer transferência.

Talvez também te interesse: