Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Cartão de crédito consignado: 4 tipos de cartões para conhecer

separador

Atualizado: 

22/12/2022

O mercado financeiro oferece uma série de opções de cartões para as pessoas consumidoras. Tem o cartão de crédito consignado, o cartão de benefícios, o com cashback e o com pontos ou o cartão de crédito com milhas. 

Cada um desses oferece algumas vantagens para quem os adquire, mas, ao mesmo tempo, também pode trazer vários aborrecimentos.

A seguir, você vai conhecer dois cartões de crédito voltados exclusivamente para pessoas que têm acesso ao empréstimo consignado. Além de outros dois cartões tradicionais, voltados para o público em geral, que queira ter algum benefício no crédito. Confira!

1. Cartão de crédito consignado

O cartão de crédito consignado permite realizar compras de produtos e serviços ou sacar o limite disponível. Nesse caso, o pagamento é diferente do empréstimo. O valor equivalente a 5% do salário líquido mensal é retirado do saldo da fatura a partir de uma própria taxa de juros específica para esse tipo de cartão. 

A vantagem dita pelos bancos é que você não ficaria inadimplente, já que o desconto do valor gasto no cartão é feito diretamente no benefício ou salário que recebe. O problema é que para isso, ele já te cobra uma taxa de juros, mesmo você não atrasando o pagamento da conta.

2. Cartão de benefícios consignado

O cartão de benefício consignado é destinado para compras de produtos e serviços. Ele pode ter saque de até 70% do limite e permite a contratação de seguro de vida e auxílio funerário. 

O cartão permite descontos em farmácias e outros comércios conveniados. As condições de cobrança são semelhantes ao cartão de crédito consignado. O saldo mensal é deduzido de uma nova parcela de 5% do salário líquido. Esse valor é corrigido pela taxa de juros, podendo ter o pagamento do saldo antecipado.

3. Cartão com cashback

Virou moda entre diferentes bancos e financeiras oferecer o tal cartão ou aplicativo com cashback. Nele, você recebe uma parte do valor gasto na fatura de volta. Normalmente um valor bem baixo que varia de 1% a 2% do total da fatura. Ou seja, se você comprar um produto de R$ 100,00 vai receber de volta entre R$ 1,00 e R$ 2,00. O cartão de uma conhecida empresa do ramo, por exemplo, oferece cashback de 0,8% por cada compra feita.

Esse valor vai para a sua conta com cerca de cinco dias após o pagamento da fatura. A questão é que se você fizer a mesma compra de R$ 100,00 com o cartão dessa mesma empresa e atrasar o pagamento da fatura durante os mesmos cinco dias, vai ter que pagar de juros e multa cerca de R$ 12,75.

Essa comparação mostra que os benefícios pagos pelo banco são infinitamente menores do que o valor que você deve pagar a ele, em situações extremamente semelhantes.

4. Cartão de crédito com milhas ou pontos

Se você pesquisa muito sobre esse assunto, provavelmente já viu um monte de vídeos, propagandas e anúncios nas suas redes sociais de influenciadores e “especialistas” em cartões de pontos e de milhas que podem “mudar a sua vida”.

Não passa de mais uma mentira das instituições financeiras para fazer você gastar mais dinheiro no cartão de crédito e, nesse caso, ainda pagar valores altíssimos de anuidade.

Vamos a um exemplo que se aproxima muito do que você viu no tópico anterior sobre os cartões com cashback.

Um cartão ligado ao programa de milhas de uma empresa de aviação brasileira oferece 1 ponto a cada dólar gasto. Ou seja, se você gastar cerca de R$ 5.000,00 em uma fatura, vai receber 1000 pontos.

Uma passagem de São Paulo para Salvador pelo mesmo programa de milhas custa 21 mil pontos. Isso quer dizer que você precisa gastar cerca de R$ 105 mil no cartão para poder ter a quantidade de pontos suficientes para “ganhar” essa viagem. Esse voo custa em dinheiro R$ 682,53.

A taxa de juros mensal desse cartão é de 12% ao mês. Se você dever durante um mês a fatura de R$ 5.000,00, vai ter que pagar só de juros R$ 600,00. Praticamente o valor da passagem entre São Paulo e Salvador.

Esses dados mostram que os bancos, influenciadores, artistas e especialistas de internet tentam vender para você uma série de cartões que trazem “benefícios imperdíveis”, mas que, na verdade, podem se transformar em um gigantesco problema econômico para você e sua família.

Algumas pessoas, realmente, precisam usar cartão de crédito para poder ter acesso a bens, serviços e pagar as contas do dia a dia. Porém, o ideal é não usar, mas, se precisar, esteja atenta às condições de pagamento. Não são indicadas aquelas com desconto automático. Atente-se também aos valores de anuidade e taxa de juros aplicados no serviço de cartão de crédito.

Acesse a nossa planilha de orçamento doméstico e comece a mudar a realidade da sua vida. Sem precisar mais do cartão de crédito consignado, o cartão de crédito com milhas ou de outros que são oferecidos no mercado.

Talvez também te interesse:

A base alimentar da cozinha caipira tem forte influência dos hábitos dos indígenas guarani