Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Idec visita o sistema de transporte gratuito de Ivaiporã no Paraná

A iniciativa teve o objetivo de conhecer a execução do serviço e subsidiar a luta pelo acesso ao transporte no resto do país

Compartilhar

separador

Atualizado: 

20/12/2019
Foto: Rafael Calabria/Idec
Foto: Rafael Calabria/Idec

Em 18 de novembro, o Idec esteve na cidade de Ivaiporã, no Paraná, para conhecer o sistema de tarifa zero no transporte público local. Esse é o terceiro município brasileiro visitado com esse objetivo, sendo os outros dois Agudos (SP) e Maricá (RJ). Na ocasião, o pesquisador em Mobilidade Urbana, Rafael Calabria e o Advogado de Programas Técnicos do Idec, Michel de Souza, foram recebidos na sede da prefeitura Ivaiporã pelo prefeito, Miguel Roberto do Amaral, o vice, Ilson Gagliano, e o presidente da Câmara dos Vereadores, Eder Bueno.

“Quisemos ver de perto como o serviço é executado, conhecer as dificuldade e melhorias. Assim podemos reunir argumentos na luta por uma disposição de recursos para mobilidade urbana nas cidades. Isso sem perder a consciência de que em cidades grandes, como São Paulo e Rio de Janeiro, o desafio é muito maior”, explica Rafael Calabria.

Ivaiporã conta com cerca de 30 mil habitantes de acordo com o IBGE e é a maior cidade do Paraná a trabalhar com o sistema de gratuidade nos ônibus. É também um dos municípios que exerce esse método há mais tempo no Brasil, desde 2001, gastando em média R$ 800 mil anualmente com o serviço. 

Para ampliar o sistema, o município contou com a contribuição da Prefeitura de Curitiba,  que fez a doação de um ônibus articulado para a cidade devido ao alto uso do transporte depois dessa mudança. “A necessidade de aquisição de um ônibus articulado em uma cidade pequena evidencia o quanto o custo da tarifa é determinante na inclusão de usuários no sistema”, afirma Calabria. 

A prefeitura de Ivaiporã vem buscando alternativas para custear a gratuidade no sistema, planejando, por exemplo, espaços para publicidade no interior dos veículos. “O impacto no orçamento do município é sempre um problema grave que aumenta a dificuldade de implantar a tarifa zero. A iniciativa  da prefeitura em buscar fontes alternativas de fontes e recursos é bastante inovadora”, elogia o pesquisador do Idec.

O Idec entende que o sucesso do projeto é atestado pelo uso intenso verificado nos ônibus da cidade e pelo aumento do uso apontado pela prefeitura. A mesma realidade foi observada nas outras cidades visitadas. “ Está claro que o preço da tarifa é um limitador do acesso ao transporte público. Em cidades pequenas esse serviço parece ser mais praticável. Já para as grandes é necessário buscar fontes alternativas de recursos extra-tarifários”, conclui Calábria.

Talvez também te interesse: