Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Estudos mostram eficiência da advertência de triângulo em rótulos

Em artigo publicado pela revista científica Food Research International, Idec e parceiros destacam as vantagens dos formatos de triângulo em comparação às diversas propostas de rotulagem nutricional frontal

Compartilhar

separador

Atualizado: 

15/02/2019
Estudos mostram eficiência da advertência de triângulo em rótulo nutricional

A advertência em formato de triângulo com os dizeres alto em é o modelo de rotulagem nutricional frontal mais adequado para alertar a população brasileira sobre o excesso de nutrientes críticos em produtos alimentícios ultraprocessados e ajudá-la a fazer escolhas alimentares mais conscientes e saudáveis.

Essa é a conclusão do artigo científico Choosing a front-of-package warning label for Brazil: A randomized, controlled comparison of three different label designs (Escolhendo um rótulo frontal de advertência para o Brasil: um estudo aleatório e controlado de comparação entre três diferentes designs de embalagem, em português), produzido por pesquisadores do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) em parceria com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (Nupens/USP).

O artigo foi publicado em janeiro, na revista científica Food Research International.

A proposta desenvolvida pelo Idec e por pesquisadores em design da informação da UFPR,  apoiada pela Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, sugere a rotulagem frontal de advertência em formato de triângulos para destacar o excesso em produtos processados e ultraprocessados. Na validação, foram realizadas pesquisas quali e quantitativas em conjunto com o Nupens/USP.

Dentre estas pesquisas, houve a comparação entre os modelos de advertência nos formatos de triângulo alto em, triângulo muito, octógono e controle (sem rótulo frontal). O primeiro rótulo foi o que apresentou resultados significativamente melhores que os demais.

Entre as vantagens comprovadas do triângulo alto em estão:

  • Mais eficiência em ajudar os consumidores a identificar corretamente produtos com alto teor de nutrientes críticos;
  • Mais eficácia em capturar a atenção do consumidor;
  • Maior impacto nas escolhas alimentares;
  • Redução da intenção de compra de produtos não saudáveis.

No modelo de rótulo frontal com melhor avaliação do estudo, o fundo branco serve para deixar o rótulo em formato de triângulo mais visível.

O Idec encaminhou o estudo à equipe técnica da Anvisa. Anteriormente, o Instituto já havia apresentado dados sobre rotulagem como parte do processo regulatório de rotulagem nutricional.

“O Idec e a Aliança valorizam o conhecimento técnico e a pesquisa científica livres de conflito de interesses. É importante que a Anvisa também leve em consideração estudos científicos rigorosos como esse no processo regulatório de rotulagem nutricional”, analisa Laís Amaral, nutricionista e pesquisadora do Idec.

Informação clara é direito básico previsto pelo CDC

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), rótulos claros e objetivos são uma ferramenta útil para orientar os consumidores a fazerem melhores escolhas alimentares.

Em uma pesquisa realizada pelo Idec, em 2016, mais de 70% dos participantes afirmaram ter dificuldade para compreender os rótulos dos produtos, sugerindo a necessidade de criar mecanismos mais eficazes de alerta contra produtos com teor excessivo de sal, açúcar e gorduras.

A informação adequada sobre o que a população está comendo é um direito básico, previsto pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). Com informações claras e objetivas, os consumidores podem fazer escolhas alimentares mais conscientes e mais saudáveis.

 

LEIA TAMBÉM

Em vídeos, consumidores falam sobre dificuldade em entender rótulos

MPCON apoia modelo de rotulagem nutricional de advertência

Campanha alerta sobre necessidade de rótulos mais fáceis em ultraprocessados