Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Idec pede à Crocs no Brasil explicações sobre a segurança de seus calçados

Diante dos acidentes com o Crocs no em diversos páises Ide pede explicações

Compartilhar

separador

Atualizado: 

17/08/2011

Após a divulgação de relatos de acidentes com crianças calçando as sandálias Crocs em escadas e esteiras rolantes no Japão, Cingapura e Estados Unidos, o Idec encaminhou um pedido de explicações ao fabricante dos calçados no Brasil.

O Ministério da Indústria e Comércio do Japão instruiu o fabricante a melhorar o design do produto. Segundo a agência de notícias Associated Press, as crianças que usam a sandália correm o risco de terem seus pés presos em escadas rolantes.

A coordenadora executiva do Idec, Marilena Lazzarini, enviou duas mensagens aos responsáveis pela produção da sandália no Brasil, nos dias 22 e 23 da abril. Nelas, solicita informações sobre a disponibilidade de estatísticas detalhadas que esclareçam os acidentes ocorridos em outros países. Também indaga sobre a produção de testes para diferentes usos (além do uso destinado inicialmente, para barcos) e para diferentes faixas etárias, especialmente o público infantil.

Além disso, pergunta quais as providências que serão adotadas pela empresa, levando em conta as suas responsabilidades de fornecedor, definidas pelo Código de Defesa do Consumidor nos artigos 8 a 18, que tratam da qualidade de produtos e serviços, da prevenção e da reparação dos danos. O Idec enviou esse excerto do CDC à Crocs.

A resposta à primeira mensagem veio na forma de um comunicado, já divulgado à imprensa no dia 22 de abril. Nele o fabricante afirma que o Ministério levantou que vários fatores levaram a "incidentes específicos" no Japão, entre eles "o design e manutenção das escadas rolantes, os calçados e o comportamento do individuo na própria escada rolante". Vale dizer que o citado comunicado da Crocs não respondeu aos questionamentos específicos enviados pelo Idec. Clique aqui para ler a íntegra do comunicado.

O Idec também solicitou mais informações a uma associação japonesa de consumidores , a NCOS (Nippon Consumer Voice for Better Standards). Leia a resposta:

"Cara Marilena,

Muito obrigado por seu e-mail. Peço desculpas por não ter respondido antes. O jornal Asahi [Asahi Shimbun, segundo maior jornal japonês em tiragem] publicou, no dia 19 de abril, uma matéria na primeira página alertando os consumidores sobre os calçados Crocs.

De acordo com a reportagem, foram registrados mais de 30 acidentes relacionados ao uso desse tipo de sandália fechada, muitos envolvendo crianças. A maioria dos acidentes registrados envolveu sandálias Crocs.

Aparentemente, o problema está no tipo de borracha empregado em sua fabricação, muito macia e flexível. É mais suscetível de se prender em alguns locais, como escadas rolantes.

Ainda segundo a matéria, por causa do material macio de que é feita, a sandália fica presa com facilidade nos espaços entre os degraus de uma escada rolante, principalmente quando a pessoa está saindo dela - os degraus vão ficando menores e há pequenos vãos entre eles - e quando os pés ficam muito próximos das laterais da escada - os pés ficam presos entre os degraus móveis e a lateral fixa da escada rolante.

Há também uma foto, que vou tentar escanear e enviar a você. Na imagem é possível ver que a parte frontal superior da sandália foi rasgada depois de ficar presa. A reportagem também fala em lesões, como dedos do pé quebrados.

O Ministério da Indústria e do Comércio solicitou ao fabricante da Crocs que melhore o projeto do calçado.

Temos contatos com o instituto que fez os testes no produto. Estou tentando obter mais detalhes e os enviarei a você em breve.

Espero que essa informação seja útil.

Atenciosamente,

Diretora da NCOS (e Professora de Direito da Tezukayama University)
Japão"

Talvez também te interesse: