Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Pesquisa revela que reajustes são o principal problema para o consumidor de planos de saúde em 2020

Idec coletou as respostas de 518 consumidores de planos de saúde que revelaram quais foram as principais dificuldades enfrentadas neste ano

Separador

Atualizado: 

13/01/2021

Uma pesquisa realizada pelo Idec, ONG de defesa do consumidor, revelou que os altos valores dos reajustes foram as principais queixas apontadas pelos consumidores de planos de saúde no Brasil em 2020. Dos 518 consumidores que responderam a pesquisa, 410 (79,15%) afirmaram ter enfrentado dificuldades neste ano relacionadas ao seu plano de saúde. Desse total, 290 (56%) relataram problemas com algum tipo de reajuste.

Principal queixa apontada pelos consumidores, os reajustes foram diferenciados em duas categorias na pesquisa: reajuste anual - que como o nome diz é aquele aplicado anualmente - e problemas com o reajuste por faixa etária - que ocorre quando o consumidor troca entre uma das faixas etárias regulamentadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Do total, 137 participantes reclamaram apenas do valor do reajuste anual e 39 se queixaram só do reajuste por faixa etária. Soma-se a essas reclamações outros 114 consumidores que apontaram problemas recentes com os dois tipos de reajustes.

Na sequência, o problema mais relatado na pesquisa depois dos reajustes foi a demora para a marcação de consulta e exames, com 153 reclamações, seguido pelo transtorno com mudança da rede credenciada para outra de pior qualidade, reclamada por 89 consumidores.

“Em momentos de crise econômica, os reajustes representam um peso muito grande para os consumidores e forçam a inadimplência ou a perda dos planos.  Problemas relativos à mensalidade, como dificuldade na negociação frente ao não pagamento, também apareceram na nossa pesquisa com 39 casos. Como o ano foi financeiramente muito bom para as operadoras de plano de saúde e muito ruim para os consumidores, as empresas deveriam se mostrar mais abertas à negociação e a ANS deveria promover medidas de proteção bem mais efetivas do que só prorrogar o reajuste para 2021. Isso que pode agravar ainda mais o problema no ano que vem”, afirma a coordenadora do programa de Saúde do Idec, Ana Carolina Navarrete.

Parte dos problemas registrados em 2020 teve relação com a pandemia do coronavírus, que afetou de forma drástica os sistemas de saúde do mundo todo. Por isso, a pesquisa do Idec também quis saber sobre as dificuldades relacionadas à Covid-19. Do total de 518 participantes, 240 apontaram que tiveram problemas relacionados à pandemia.

Para 79 entrevistados ocorreram problemas de demora na marcação de consulta para outros problemas em decorrência da pandemia. Já 58 reclamaram de negativa do plano de saúde para a cobertura de teste para diagnóstico da Covid-19, que foi seguida pela reclamação de ausência de laboratório, consultórios ou hospital na rede capazes de realizar os procedimentos requeridos (21 reclamações) e demora na marcação de consulta ou procedimento para Covid-19 (18).