Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Recall de brinquedos da Long Jump deveria ocorrer em todos os países onde a empresa atua

Ao ingerir determinadas partes do produto, algumas substâncias se transformam na droga GHB, um poderoso sedativo

Compartilhar

separador

Atualizado: 

18/08/2011

Agências internacionais informaram nesta tarde que milhões de brinquedos fabricados na China foram recolhidos nos Estados Unidos e na Austrália depois de ser constatado que eles continham uma substância ligada à droga GHB (ácido gama-hidroxibutírico), um poderoso sedativo, que é ilegal.

Ao ingerir determinadas partes do produto, algumas substâncias se transformam na droga. Cinco crianças chegaram a ser hospitalizadas (nos Estados Unidos e na Austrália) depois de engolir miçangas do briquedo, que também é distribuído no Brasil. Aqui, entretanto, não foi anunciado recall.

"A responsabilidade da importadora é a mesma da fabricante, por isso o recall deveria ter sido feito juntamente com os outros países." A frase é da coordenadora executiva do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Marilena Lazzarini, em relação à demora de anúncio do recall por parte da empresa Long Jump, importadora da linha de brinquedos Bindeez.

A empresa Long Jump deve anunciar imediatamente o recall, já que importa para o Brasil a linha de produtos Bindeez, que já foi alvo de recall na Austrália, EUA e Canadá.

Marilena Lazzarini afirma ainda que "se ainda não tiver a confirmação do problema com os produtos vendidos no Brasil, a Long Jump deve, pelo menos, pedir a suspensão das vendas até que seja confirmada a informação. Da mesma forma, deve recomendar que esses brinquedos sejam afastados das crianças".

Se forem confirmados os problemas nos brinquedos, a empresa deve fazer oficialmente um recall, comunicando todos os acidentes ocorridos nos outros países.

Além da importadora e do fabricante, os comerciantes também são responsáveis solidariamente pela imediata retirada do produto das prateleiras e em possíveis casos de acidente.

Devido aos recentes problemas ocorridos no país, na última terça-feira (06/11) o Idec promoveu uma mesa redonda para discutir o processo de recall no Brasil. Estiverem presentes ao evento representantes do Instituto de Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Procons, sendo unânime o entendimento de que é necessária a criação de um sistema unificado de procedimentos para implementar recalls no país.

"Esse novo caso de brinquedos com problemas no Brasil só reafirma a necessidade de instaurarmos esse sistema o mais rápido possível. Por isso, o Idec vai enviar aos Ministros um pedido de apoio e aceleração desse sistema", conclui Lazzarini.