Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Idec repudia censura a campanha contra bebidas açucaradas na Colômbia

Vídeo de campanha da ONG Educar Consumidores foi proibida por órgão governamental do país após denúncia de advogado atualmente ligado à indústria de bebidas

Compartilhar

separador

Atualizado: 

11/10/2016
No início de setembro, a ONG Educar Consumidores, da Colômbia, foi proibida de veicular um vídeo educativo que denuncia a quantidade de açúcar presente nas bebidas gaseificadas e alerta os consumidores sobre os danos à saúde que esses produtos podem causar. 
 
A proibição foi determinada pela da Superintendência da Indústria e do Comércio (SIC) do país, que alega “publicidade enganosa”.
 
O Idec repudia a decisão por considerar que o vídeo não contém informações enganosas e porque há fortes indícios de conflitos de interesses envolvendo a indústria de bebidas. 
 
Segundo a ONG Educar Consumidores, a medida de restrição foi realizada em tempo recorde e o advogado responsável pela denuncia (ex-Superintendente da Indústria e Comércio) é o atual encarregado pelo lobby das empresas para evitar a aprovação de um imposto sobre bebidas açucaradas no Congresso colombiano.
 
Danos comprovados
 
O vídeo faz parte da campanha Cuide de sua vida - leve-a a sério (em tradução livre), que tem apoio da Alianza por la Salud Alimentaria da Colômbia, grupo de associações civis e de profissionais preocupados em combater a epidemia de sobrepeso e obesidade.
 
A SIC alega que a peça publicitária não faz referências a estudos científicos que comprovem danos à saúde, nem diferencia os tipos de bebidas açucaradas. Além disso, diz que a unidade de medida utilizada no vídeo para informar a quantidade de açúcar nos produtos (colher) não corresponde à medida internacionalmente aceita.
 
Para o Idec, os argumentos do órgão para censurar a campanha não procedem. “As evidências científicas que associam o consumo de bebidas açucaradas e danos à saúde, como ganho de peso e cárie, são mais do que definitivas”, ressalta Ana Paula Bortoletto, nutricionista e pesquisadora do Idec. “É necessário alertar a população sobre a quantidade de açúcar presente nessas bebidas, pois nem todos estão cientes disso e dos riscos associados ao consumo desses produtos”.
 
Segundo a nutricionista, evitar o consumo de bebidas açucaradas é uma das recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira para uma alimentação adequada e saudável.