Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Aliança lança plataforma eleitoral que promove a alimentação saudável

A iniciativa “Candidato, o que tem no seu prato?” contempla 10 compromissos com políticas públicas

Compartilhar

separador

Atualizado: 

11/09/2018
Aliança lança plataforma eleitoral que promove a alimentação saudável

A Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, coalizão de diversas organizações da sociedade civil, quer que os candidatos às eleições de 2018 insiram em suas plataformas o compromisso com políticas públicas para a promoção da alimentação adequada e saudável. Para isso, foi lançada nesta terça-feira (04) a plataforma eleitoral “Candidato, o que tem no seu prato?”, que reúne propostas fundamentais e pede a adesão dos candidatos através de uma carta compromisso.

Na plataforma, o eleitor poderá cobrar diretamente os presidenciáveis e enviar um e-mail automaticamente para o seu candidato. Já para os candidatos a outros cargos, como governadores, senadores, deputados federais e deputados estaduais e distritais, é necessário enviar um e-mail para o candidato, com o endereço eleicoes@alimentacaosaudavel.org.br em cópia. Os eleitores também são incentivados a cobrarem os candidatos pelas redes sociais com a hashtag #AlimentaçãoSaudávelJá.

Ana Carolina Feldenheimer, membro do Comitê Gestor da Aliança, defende que, apesar do Brasil ser considerado um exemplo em várias ações e políticas públicas na área da alimentação e da nutrição,  ainda há muito o que avançar, principalmente no campo de legislativo e regulatório. “Precisamos urgentemente assumir leis e resoluções que já são realidade em outros países como a taxação de bebidas açucaradas e a proibição de venda destas bebidas em escolas além da melhoria das informações nos rótulos dos alimentos ultraprocessados", frisa Ana Carolina, uma das autoras da carta compromisso.

O documento contempla 10 itens, entre eles: Promoção de saberes e práticas da alimentação adequada e saudável; Proteção e apoio à amamentação; Fortalecimento da agricultura familiar e agroecologia; Efetivação da proibição da publicidade infantil; Restrições à publicidade de alimentos ultraprocessados; Melhorias nos rótulos dos alimentos; Medidas fiscais em prol da alimentação saudável; Alimentação saudável nas escolas; Garantia do direito à água; Monitoramento de práticas que estimulem condutas alimentares nocivas à saúde. 

Para a líder de programa de Alimentação Saudável, do Idec, Ana Paula Bortoletto, a agenda da Aliança apresenta as soluções mais efetivas e urgentes para reverter o aumento das doenças crônicas não transmissíveis como obesidade e diabetes e proteger o direito à alimentação que está na Constituição Federal. “Esperamos que os candidatos e candidatas se comprometam a adotar medidas para facilitar as escolhas alimentares saudáveis. A saúde da população deve ser uma prioridade no próximo governo”, ressalta.

Na  plataforma eleitoral, ainda é possível ler a carta na íntegra e acompanhar as adesões dos candidatos, que serão identificados com um selo no próprio site.