Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

Entidades vão à Justiça contra mudanças feitas no vale-transporte em SP

Compartilhar

separador

Metro Jornal

Atualizado: 

13/05/2019
Entidades vão à Justiça contra mudanças feitas no vale-transporte em SP
Entidades vão à Justiça contra mudanças feitas no vale-transporte em SP

Matéria publicada originalmente por Metro Jornal

A Defensoria Pública de São Paulo e o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor) ajuizaram na terça-feira ação civil pública contra a Prefeitura de São Paulo. As entidades pedem igualdade nas regras do vale-transporte e Bilhete Único, implantadas em março.

Antes, o trabalhador podia fazer até quatro embarques no período de duas horas, pagando apenas uma tarifa de R$ 4,57 – o custo ao usuário comum é R$ 4,30.

Com as novas regras, os valores não mudaram, mas a quantidade de embarques foi reduzida. Os usuários do vale-transporte podem fazer, agora, apenas dois embarques em até três horas, pagando uma tarifa, enquanto no Bilhete Único comum o limite é de quatro viagens, no mesmo período.

Para os órgãos, as mudanças prejudicam a população que vive mais distante do centro, que fazem mais integrações e geram um custo maior às empresas. Os empregadores contratariam quem mora mais perto.

A Justiça já tem proferido mandados de segurança individuais a favor dos empregadores desde março, os isentando das novas regras.

A ação pede, ainda, uma indenização por danos coletivos, com valor mínimo de R$ 8 milhões.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que custo é responsabilidade do empregador e que a SPTrans está cumprindo os mandados. Ainda não há prazo para o julgamento da ação.  

Matéria publicada originalmente por Metro Jornal