Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

O Sistema

O Sistema

O SISTEMA DE ENERGIA BRASILEIRO: NACIONAL E INTEGRADO

O sistema de energia brasileiro não é simples. Assim, selecionamos as principais informações que podem ajudar o consumidor e enxergar o todo e relacioná-lo com sua conta de luz. Vamos lá!

Estrutura

O sistema elétrico brasileiro está estruturado sobre três processos: 

  1. Geração: produção da energia
  2. Transmissão: transporte da energia até centros consumidores
  3. Distribuição: a partir dos centros consumidores é distribuída para todos os consumidores (residências, comércios etc.)

Essas operações são realizadas em um Sistema Interligado Nacional (SIN), que reúne diversas fontes de produção (hidrelétricas, termelétricas, eólicas, solar etc.) e possibilita a troca da energia gerada entre todas as regiões do país. Assim, se uma região do país fica desabastecida porque sua fonte principal de energia está escassa, a geração de outra região pode abastecê-la.

Isso ocorre, por exemplo, após um período de seca no Sudeste, que é abastecido principalmente por hidrelétricas. Em razão da falta de água para gerar energia, os moradores da região passam a ser atendidos pela geração de termelétricas de outras regiões do país.

 

Fontes e tipos de energia

As fontes de energia elétrica disponíveis no Brasil são diversas, sendo as principais:

RENOVÁVEIS

  • Hídrica (água)
  • Biomassa (material constituído principalmente de substâncias de origem Orgânica, animais e vegetais)
  • Solar
  • Eólica (vento)

NÃO RENOVÁVEIS

  • Gás natural
  • Carvão
  • Nuclear
  • Derivados do petróleo

A energia renovável é aquela que vem de recursos que são naturalmente reabastecidos, como sol, água, vento, marés e energia geotérmica. Já a não renovável é a que provém de recursos que se encontram em quantidades limitadas na natureza e se extinguem com a sua utilização, como os combustíveis fósseis (carvão, petróleo bruto e gás natural) e o urânio (matéria-prima para gerar a energia nuclear).

A energia renovável é chamada de “limpa” porque, ao ser utilizada pelo consumidor, causa menor dano ao meio ambiente do que a não renovável.

O custo de cada fonte de energia

Cada fonte de energia tem um custo diferente para a produção de eletricidade e esse valor é repassado ao consumidor. 

Assim, dependendo da origem da energia que você utiliza, e pode ser mais de uma, sua conta pode ficar mais alta ou mais baixa.

A termelétrica é a modalidade mais cara de todas. Quando utilizada em maior quantidade, seu custo é repassado ao consumidor, que é notificado na conta com as bandeiras amarela e vermelha. A nuclear também é uma modalidade de custo alto. Já as energias renováveis são mais baratas e têm reduzido o seu custo com o passar dos anos.

 

Controle e fiscalização

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) é um órgão público que tem a função de fiscalizar e regular todo o sistema elétrico brasileiro. Pela Lei Federal nº 9.427/1996, ela está responsável por dar autorização a empresas para operarem partes do sistema (geração, transmissão ou distribuição), lhes passando o direito de prestar um desses serviços públicos.