Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

A distribuição

A distribuição

DISTRIBUIÇÃO: QUANDO A ENERGIA CHEGA ATÉ VOCÊ

É no momento da distribuição da eletricidade (das estações de distribuição até as residências, comércios etc.) que o consumidor tem contato de fato com o sistema de energia, por meio das empresas que realizam esse serviço. Essa distribuição tem um custo, um processo e exige uma infraestrutura específica como fios, antenas, relógio medidor, entre outros. Tudo isso aparece na sua conta de luz, e é importante que você saiba o significado dos termos para entender sua fatura.

Infraestrutura e identificação

Unidade consumidora

Aparece na conta de luz como um número e se refere basicamente ao relógio medidor que fica na sua residência/empresa e aos fios que permitem o recebimento de energia elétrica que vem dos centros de distribuição.

Conjunto elétrico

As empresas distribuidoras de energia são responsáveis por cobrir uma área geográfica específica. Essa área é composta por várias unidades consumidoras que formam um conjunto elétrico.

Cada conjunto elétrico tem um nome, que vem identificado na sua conta de luz.
 

 

Interrupção da distribuição

 
Todo sistema de distribuição de energia está sujeito a interrupções. Elas podem ser causadas, por exemplo, por falta de manutenção na infraestrutura ou por intempéries naturais (chuva, ventos etc).
 
O consumidor tem direito de saber quantas vezes e por quanto tempo ficou sem energia, e de ser ressarcido por isso. A própria distribuidora calcula o reembolso e desconta o valor nas contas de luz futuras. O consumidor não precisa pedir, mas deve ficar atento se o desconto é dado. Caso contrário deve reclamar para a distribuidora.
 
Existem vários índices que medem essas interrupções e aparecem na conta de luz. Eles estabelecem limites de tempo e frequência que cada unidade consumidora pode ficar sem eletricidade. Excedido esse limite, deve ocorrer o reembolso financeiro ao consumidor. Esses limites variam conforme o conjunto elétrico.
 
Por exemplo, o conjunto elétrico Livramento do Brumado, na Bahia, tem DEC de 17 horas. Ou seja, tolera-se que esses consumidores fiquem até 17 horas, não contínuas, sem energia. Ultrapassado esse valor, eles devem receber dinheiro de volta.
 
Indicadores coletivos de continuidade (relacionado ao conjunto elétrico)
  • DEC: Duração equivalente de interrupção por unidade consumidora.
  • FEC: Frequência equivalente de interrupção por unidade consumidora.
 
Indicadores individuais de continuidade (relacionado à unidade consumidora)
  • DIC: Duração de interrupção individual por unidade consumidora (em horas).
  • FIC: Frequência de interrupção individual por unidade consumidora (número de vezes).
  • DMIC: Duração máxima de interrupção contínua por unidade consumidora ou ponto de conexão (em horas).
  • DICRI: Duração da interrupção individual ocorrida em dia crítico (chuvas fortes, ventania, ocorrência intensa de raios etc.) por unidade consumidora ou ponto de conexão (em horas).
 
Para saber mais, consulte o site da Aneel: http://www.aneel.gov.br/indicadores-da-distribuicao
 

Seu aparelho queimou após apagão da rede elétrica? Peça ressarcimento.


Em situações como essa, de acordo com a Resolução 414/10 da Aneel, os consumidores têm prazo de 90 dias para encaminhar queixa à distribuidora. Essa, por sua vez, terá 10 dias úteis para a inspeção e vistoria do aparelho, e 15 dias, contados a partir da inspeção ou do protocolo da queixa, para informar se o pedido será deferido. Caso o equipamento danificado seja utilizado para acondicionar alimentos perecíveis ou medicamentos, o prazo para inspeção é de um dia útil. Os consumidores poderão ser ressarcidos em dinheiro, conserto ou substituição do equipamento. Saiba mais aqui.