Bloco Associe-se

Associe-se ao Idec

O QUE ESTÁ EM JOGO?

O QUE ESTÁ EM JOGO?

Você deixaria um desconhecido entrar na sua casa e analisar o que tem na sua dispensa, a forma como as roupas são organizadas nas gavetas, observar a que horas você toma banho e ouvir suas conversas mais íntimas para depois compartilhar tudo com outros desconhecidos?

Provavelmente não. Mas, de certa forma, isso já acontece sem o seu consentimento.

Quase todos os nossos movimentos são passíveis de rastreamento: cada compra, cada acesso, cada busca, cada rota. Os nossos rastros digitais estão em toda parte, dentro e fora da internet. 

Entenda as possíveis consequências de ainda termos nossos dados desprotegidos.
 

O QUE ESTÁ EM JOGO É A CIDADANIA

Quando analisam nossos dados e os vendem de forma sistematizada para empresas, ficamos a mercê de um bombardeio de mensagens que chegam a nós repetidamente, por diversos dispositivos, com o objetivo de influenciar.

Como a publicidade direcionada conhece o nosso perfil, ela pode usar nossos pontos mais fracos para nos induzir a comprar algo, acreditar numa ideia, contratar serviços, votar em alguém. E o pior: invisibilizar acontecimentos. A famosa bolha.

A impossibilidade de ter uma visão ampla e crítica sobre o mundo nos impede de ter consciência sobre quem somos e o que realmente atende os nossos desejos. 

A legislação recentemente aprovada, somada a Autoridade regulatória - que ainda precisa ser criada - impede várias dessas práticas. Agora as empresas devem ser mais transparentes sobre suas práticas e devem informar ao consumidor sobre as finalidades que justificam cada tipo de dado coletado.  
 

 

OPORTUNIDADES X DISCRIMINAÇÃO

Já não somos mais anônimos com o cruzamento de informações de diferentes fontes sobre nosso comportamento - como planos de saúde, farmácias, bancos, agências de emprego, entre outras empresas e órgãos.

Uma pessoa que está doente e tenha visitado o médico e comprado remédios específicos com alta frequência nos últimos meses, provavelmente não sabe que isso pode ser levado em consideração quando ela pede crédito ao banco ou participa do processo seletivo de uma vaga de emprego.

Julgada como incapaz de pagar um empréstimo e de trabalhar bem por conta da suposta doença, suas chances podem ser anuladas quando ela mais precisa.

Com a nova lei, o consumidor terá a garantia de não ser discriminado, especialmente por decisões automatizadas. Mas isso depende também do órgão fiscalizador independente, que terá a capacidade de realizar auditorias para verificar a adequação à norma. 
 

O ANO DA PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS

2018 está sendo o ano da proteção de dados pessoais para o Idec. Depois de tanto tempo de discussão, o projeto de lei sobre o tema finalmente saiu do forno, foi aprovado no Congresso Nacional após intensa pressão das ONGs e foi, finalmente, sancionado pela Presidência da República em 14 de agosto de 2018. 

Ao longo do ano, trabalhamos intensamente com campanhas de informação, publicações, e conscientização de deputados e senadores sobre a importância da proteção de nossos dados. Agora esse trabalho continua  para garantir a criação da autoridade de proteção de dados e para assegurar que a lei saia do papel.